5 erros que os missionários devem evitar na África
Dicas para se preparar melhor para fazer missão na África.

Por Ismael dos Santos 08/10/2018 às 11:31

A falta de conhecimento sociocultural, cria um abismo para o trabalho missionario. — Foto / Internet

Tenho experiência missionária na América do Sul, Europa e na África. E ao longo destes 10 anos, tenho constatado que a falta de conhecimento sobre a cultura e a sociedade no qual o missionário se destina, é o um dos principais fatores que prejudicam a eficiência do seu trabalho. E foi pensando neste assunto, que resolvi compartilhar os 5 erros mais comum quando se vai ou pensa na África. E por fim, não quero que pensem que estou limitando ou sendo completo no assunto. Os erros que vou mencionar são os mais populares e frequentes na minha avaliação. Igualmente, a enumeração, não significa que é um ranking dos erros. Mas, sim, uma simples organização numérica.


1.Se referir à África como um país e não um continente.
Não são poucos que voltam de determinado país da África e, ao relatar sobre a viagem missionária, relatam coisas positivas e negativas se referindo ao continente, e não especificadamente ao país em que foi.


2.Falar como se houvesse somente miséria e nada de riqueza.
Pensar que nos países da África só existe miséria e pobreza, é o maior exemplo da falta de conhecimento. A desigualdade social é um dos grandes problemas dos países da África. E é justamente na desigualdade que devemos pensar que, se existe miséria, também existe riqueza. É verdade que a desigualdade socioeconômico nos países da África é vasta e acentuada. Contudo, quem conhece o sertão do Brasil, concordará que estes tipos de déficit não são exclusivos do continente africano.


3.Falar como se não houvesse cidades urbanizadas.
Alguns missionárias falam tanto de suas dificuldades em áreas afetadas pela desigualdade social, que acabam passando uma imagem semelhante a que muitos tem sobre o Amazonas no Brasil. A imagem de que só existe mata, selva, terra seca e sol escaldante. Mas, basta fazer uma simples pesquisa na internet para perceber belas metrópoles em constante desenvolvimento e crescimento tecnológico. Existem cidades nos países da África como no Brasil. Possuindo, ruas asfaltadas, transporte público, táxi, hotel, prédios, shopping, lojas de grife, internet, etc.


4.Falar como se não houvesse comida em lugar nenhum.
Estou escrevendo este tópico e me lembrando de todas as vezes que eu e minha esposa íamos no mercado. E ne refiro a mercado tão grandes como as grandes marcas de supermercado que temos no Brasil. Não ter condições para comprar alimentos não significa que não há no país. Quase em todos os países da África, existem as mesmas marcas de produtos que temos no Brasil, inclusive as famosas redes de fast food. Quero relembrar o exemplo que dei no erro de número 2, e dizer que talvez, a diferença da fome no Brasil para os países da África, é que na África muitos morrem de fome, enquanto no Brasil muitos vivem com fome.


5.Mistificar, espiritualizar e sensacionalizar tudo que acontece nos países da África.
Que os países da África possuem um pluralismo religioso, nós não temos dúvidas. O que não podemos aceitar é que alguns missionários percam o senso do que é algum comum, normal ou natural em uma sociedade para fazer de tais fatos um show de sensacionalismo, para ganhar likes nas redes sociais ou aplausos e admiração nas igrejas. Eram tantas bobagens que ouvia antes de ir para a Angola, que imaginava que viria um tráfego aéreo de bruxos voando em uma vassoura. Imaginei que nem ia conseguir dormir lutando com espíritos malignos. E não foi nada disto. Aquele que é espiritual, saberá falar daquilo que é sensacional, sem precisar mentir.


Assista este vídeo e saiba mais
QUEM LEU ESTA PUBLICAÇÃO TAMÉM GOSTOU DESTAS:
Projeto de alfabetização de crianças em Angola

Compartilhe:

Páginas mais acessadas